domingo, 9 de agosto de 2015

...

A dor e o oco de quando ele se vai
Sentir se preenchida quando juntos

Amor
Cabô

sábado, 9 de maio de 2015

angustia sem dosagem letal latente gemente daquelas que faziam o estogamago se transformar em entranha. passado um tempo, ainda sentia aquilo ttudo, claro, de uma forma completamente diferente. nunca houve espaço pra negatividade e o baixo humor, mas sentia faltar lhe algo no peito. confrontar-se é crescer. grazzie

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Vontade de dar pro Pedreiro que não passa. ele: saudades do seu corpo....rs eu: esfoliei com açucar e mel ontem pra ficar macia depois vc me fala se deu resultado rs ele: ejeeheheheh delícia já é mto macio...rs deve ter ficado mais ainda ELE NÃO ERA ELE. EU NÃO ERA MAIS EU. <3

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Em trabalho de parto, cristo revolucionou em cristo

Hoje, natividade, nascimento daqueles fecundados em fevereiro, sim, festa da carne...
Não atoa toda pessoa que faz aniversário em dezembro e sempre foi e talvez sempre será cercada de determinados cuidados, não sei quais, mas são chatinhos sim, e voltando nisso, era isso
São fecundadas em fevereiro, na festa da carne...
Agora ele nasce
O padecido sem pecado

Tava ela abandonada, sentada na cama, posição adota a cerca de alguns meses
Trabalhoutwnto todotodos

domingo, 20 de abril de 2014

Domingo de páscoa, o coelhinho não veio. Neste momento, ele repousa em minha cama, a alegria de estar junto me transborda sempre sonhei com esse momento, a alegria o alento, tudo acontecendo, o amor transcendendo. A Alegria de estar junto me comove, move rumo ao infinito, frente ao desconhecido. da descoberta da alegria de encontrar alguem, da dúvida gerada a cada momento que eu não sei oque fazer. todas aquelas coisas, tudo que sonhei. sempre na minha cabeça, estranho pensar nisso, pois se eu sempre sonhei com isso era meio que coerente eu saber como agir, ou talvez aonde e como proceder e seguir... vou alí depois eu volto pra editar

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Ainda sentindo aquele vazio em meu corpo. algo havia sido arrancado de mim, não era material genético eram suspiros, era a alegria de sorrir era tudo, mesmo sem ter sido nada. depois de um mês sem o irmão, ela agora pensava se era mesmo aquilo tudo que queria se na hora pode parecer a coisa mais acertada agora o sentimento era outro. estaria ele sendo egoísta e querendo pra sí uma sensação de liberdade que nem mesmo existia? sem medo de parecer arrogante, fez com que acreditasse em atitudes não em palavras e o arrependimento, esse é o tempero da vida. meu irmao estava detido. foi dia dos pais. ele sentia falta de um pai. ele não é um pai. nunca acreditei no meu pai.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009


Algum tempo atrás lí em algum lugar que a melkhor forma de se esquecer alguem é fazer com que elas se sintam livres em poder ir embora ou simplesmente ficarem ao seu lado fazendo tudo ou simplesmente te ajudando a não fazer nada.
Sempre gostei de pessoas que assim como eu aprendem a olhar com um certa lógica numérica comportamental, mas na mais pura verdade a definição lá em cima para mim exemplifica muito mais amor, que liberdade, ame-o e deixe viver, sempre fora as maximas que acrreguei ao longo dos dias arrastado naquelas tarde em |minha terrinha natal onde o sol jamais se punha e tinham as tardes mais frescas dentro das galerias... Minha cidade era fresca, fresca até demais, minha casa era quente, quente demais parar me manter dentro dela durante o dia e quente demais para me manter vestido a noite.

Ontem, pensei demais em você, em como estou sendo bobo e inocente em acreditar que um dia estaremos juntos, vazio e piegas, pois então, tenho me sentido assim, na preguiça imensa que me emergulho e nos extremos etílicos em que tenho me enveredado, tenho dado pouco, menos que gostaria e muito mais do que preciso, agora só preciso de um SMS, pode ser qualquer boberinha tola, algo que remeta ao nosso encontro, algo que compartilhamos juntos, ou daquela ceninha história no granito preto que fez a alegria do prédio vizinho, basta um sms e com certeza eu sentiria sua mão repousar sobre minhas coxas enquanto seguiamois o carro do meu amigo, indicando o caminho onde mais tarde iriamos nos ter como um único com você todo dentro de mim.

Enquanto voltava para casa, um vendedor de balões me flertava, ao mesmo tempo em que um garotinho olhava fascinado aquela porção de gás Hélio preso numa borracha elástica com uma fitinha rosa neon brilhante... havia apenas $2 no meu bolso e num impulso primata saquei a nota que ainda estava enrolada, desenrolando -a apontei para o balão mais azul, mais translúcido e que facilmente escaparia das mãos de qualqer individuo apaixonado. escreví seu nome nele, não, não o seu de batismo, com o marcador permanente rabisquei em grande estilo expressionista suas inicias aquelas que vc assinava em sues SMS´s, aquele barulho engraçadinho fez abrir um sorriso no garoto que ainda olhava fascinado pra bexiga, mas que agora olhava com olhos de quem gostaria de ter algo, foi oque fiz... entreguei ao moleque que sorria inocentemente sua mãe o fez agradecer, como de praxe, agradecido ele atrevssou a rua, eu agredecí ao vendedor de bexigas que exibia um sorriso nada inocente no rosto, me esquivei, prometendo voltar mais tarde, talvez.

Descendo a rua a rua a caminho de casa, fiquei com aquele sorriso na cara que agora era somado a surpresinha do vendedor, inocente e espontaneo, olhei para o céu, que é oque nos une, pois sei que sobre sua cabeça está o mesmo céu que observo quando sinto saudades, lá estava você, com aquela fitinha rosa brilhante pairando num rebolado gostoso rumo as camadas estratosféricas.



paguei 2 reais para te esquecer.
mas nada me faz parar de pensar em você.